Games

publicidade
20 de setembro de 2012 • 17h46 • atualizado às 18h34

Jogos em smartphones são destaque no 1° dia da TGS 2012

Empresa de jogos para smartphones, Gree tem o segundo maior estande na TGS 2012
Foto: AP
 

Aberta apenas para a imprensa e para empresários, a Tokyo Game Show começou nesta quinta-feira (20), em Chiba, a 40 km da capital japonesa. Se nos anos anteriores o grande frenesi era voltado para as últimas novidades dos consoles, neste ano os smarthphones, tablets e outros portáteis são os aparelhos em que todos querem por as mãos.

Isso porque, com a incerteza de lançamento dos novos videogames da Sony e da Microsoft, e com a chegada do Wii U marcada apenas para 18 de novembro, o mundo dos games tem acompanhando nos últimos anos o crescimento de jogos para a nova geração de aparelhos celulares.

"A indústria de games está em estado de fluxo", disse Mark MacDonald, diretor executivo da empresa de consultoria Tokyo-based 8-4, para a Associated Press. "Jogos sociais e móveis continuam a crescer e, embora outros modelos de negócios tenham surgido, todos continuam incertos sobre o futuro. Eles vão continuar crescendo? Será que vão ser vistos mais para frente como um modismo? Ou eles são o futuro?", continuou o executivo.

Quem está otimista com o nova onda nos games é a Gree, empresa especializadas em jogos para smartphones fundada em 2004. Na Tokyo Game Show desse ano, a companhia tem o segundo maior estande da feira, perdendo apenas para a Capcom.

Com estúdio abrindo em cidades como São Paulo, Londres, São Francisco, Beijing e Dubai, a desenvolvedora triplicou o número de seus funcionários em 2011, chegando a 1800 pessoas. Tudo isso por causa do "boom" do games nos smarthphones.

Segundo Yoshikazu Tanaka, presidente da Gree, países emergentes são um mercado em potencial para jogos móveis, já que celulares são mais populares que consoles. Em dez anos, países emergentes representarão entre 80 e 90% do mercado de jogos móveis, de acordo com o executivo. "Se pararmos de apostar em desafios, não haverá futuro. Globalização é uma grande oportunidade", disse.

Terra