0

Criador de jogo com tema gay fala sobre preconceito da indústria

2 jul 2013
12h09
atualizado às 12h13
  • separator
  • 0
  • comentários

Em entrevista ao site Polygon, Luke Miller, criador do “jogo mais gay já feito” (segundo ele mesmo) Ex-Boyfriend the Space Tyrant, disse que o objetivo do game sempre foi expandir os tipos de história na indústria.

“Se não existisse jogos para heterossexuais, eu até entenderia a hostilidade, mas por favor...”, contou o desenvolvedor sobre as críticas enquanto o jogo estava para votação no Steam Greenlight – canal de viabilização de games independentes na loja online da Valve. “Space Tyrant e diverso e inclusivo, mas nunca pensei em fazer um jogo simpático aos heterossexuais. Não é sobre exclusão, é sobre expandir os tipos de histórias contadas nos jogos, que só pode levar a títulos mais interessantes para todos nós.”

Com alto nível de humor, muitos homens sem camiseta e temática de ficção científica, o jogo de desafio em point & click conta a história do capitão Tycho Minogue, que viaja pelo universo para acabar com governante do mal, personificado como ex-namorado. Segundo Miller, uma das grandes diferenças do jogo são as piadas inteligentes, que brinca com insinuações sexuais.

De acordo com o criador australiano, a ideia de Ex-Boyfriend the Space Tyrant surgiu porque não existem personagens homossexuais nas ficções científicas que ele gostava quando pequeno. Sobre a pouca seleção de títulos sobre o tema, ele acredita que o mercado – que quer sempre abrir seu leque de clientes – é dosador da indústria e não a homofobia.

My Ex-Boyfriend the Space Tyrant custa US$ 22 no site oficial do jogo (www.um.com.au/spaceout) e está disponível para PC, Mac e Linux. Uma sequência do game já está sendo pensada e, segundo Miller, “será ainda mais gay”.

<a data-cke-saved-href="http://games.terra.com.br/infograficos/qual-sera-seu-proximo-console/iframe.htm" href="http://games.terra.com.br/infograficos/qual-sera-seu-proximo-console/iframe.htm">veja o infográfico</a>
Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade