0

Saiba quais são os mandamentos do rei ou rainha do cosplay

9 nov 2013
15h11
atualizado às 15h11
  • separator
  • comentários

Neste final de semana acontece em Porto Alegre o evento AnimeXtreme, que reúne admiradores de desenhos, personagens, RPGs, jogos e tudo mais que permeia essa cultura. O público estimado para os dois dias é de 10 mil pessoas. Para quem não está acostumado com um evento desses, o que chama muita atenção são os cosplayers, pessoas que se vestem de personagens, trajando indumentárias muito exóticas. É algo que exige dedicação, tempo e dinheiro. Tendo em vista isso, o Terra perguntou a essas pessoas quais são “os mandamentos do rei ou da rainha do cosplay”.

O sucesso da fantasia é avaliado de acordo com o número de fotos que se tira ao longo do evento, “tem que ser carismático, senão não rola de tirar foto”, disse Arthur Simões, 19 anos, vestido de Zabuza, personagem do anime Naruto, brincando que isso “agrega ao cosplay”.

Dinheiro também é necessário, mas nem tanto se comparado com o que se gasta nas baladas paulistanas, por exemplo. “Desde junho eu estava preparando a fantasia, gastei uns R$ 600”, disse a jovem que se identificou apenas como Nanashi, 18 anos, interpretando a personagem Yamuraiha, do anime Magi, sem considerar que isso foi muita grana. “Eu acabei de chegar, mas já tirei muita foto”, completou, aparentando um pouco de desconfiança com a entrevista, mas, de certa forma, comemorando o sucesso da indumentária.

Entretanto, os gastos entre os cosplayers consultados variou de R$ 100 a R$ 400, incluindo tecidos, ajuda da tia, adereços e lentes de contato.

Mas não basta ter dinheiro e chamar atenção com a fantasia, um verdadeiro cosplay tem que assumir a personalidade do personagem, e isso é avaliado pelo público que participa de um evento como esses.

“Tem que prestar atenção no personagem, tem toda uma preparação, porque só assim todos observam, admiram e pedem para tirar fotos”, afirmou Darley Pasternak, 22 anos, vestido de Uchihaitachi, do anime Naruto.

Mas a fama também vem acompanhada de “popularidade”. Além do já citado termômetro das fotos, a fama é medida pelo aumento da rede de contatos, amigos e conhecidos no Facebook.

Perguntado se conheceu muita mulher encarnado de Slenderman (personagem que surgiu em brincadeiras na internet, que terminou por adquirir o status de lenda urbana), Andrew Levy, 19 anos, respondia que “mais ou menos... A cada evento eu adiciono umas 13 pessoas”, admitiu.

Mas os meses de dedicação para a confecção da fantasia, para outros, tem o objetivo de materializar o personagem que tanto gosta, como é o caso de Gabriele Indicatti, 17 anos, vestida da personagem C.C., do anime Codi Geass.

“É legal porque você tem a oportunidade de dar vida ao personagem que tanto gosta. Já vi crianças ficarem animadas porque parece que o personagem está vivo, você conhece as pessoas, e todo mundo se ajuda”, disse, referindo-se ao espírito de comunidade que se cria ao redor dos cosplayers. 

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade